NOTÍCIAS

Manoel Belizario é o escritor homenageado na inauguração de biblioteca em sua cidade natal

No dia 25 de novembro, o Poeta Manoel Belizario foi homenageado durante inauguração de uma Biblioteca na Escola Agenor Mendes Pedrosa, localizada na cidade de Aguiar PB, sua terra natal. Na ocasião, a professora Kalyna Kesya e a Secretária de Cultura do município, Josefa Rodrigues (Nida) declamaram versos enviados pelo autor que não pôde se fazer presente ao evento. Eis os versos do poeta:

  1. Caros conterrâneos, hoje

Quero-lhes agradecer

Pela consideração

Sobre a qual venho dizer:

Sinto-me lisonjeado

E espero ser desculpado

Por eu não comparecer

 

  1. A este tão bonito evento

Feito com tanto primor,

Que me pegou num momento

No qual estudo e labor

São fatores excessivos,

Ou seja, os reais motivos

Cabais de meu desfavor.

 

  1. Neste universo social

Da cidade de Aguiar,

No tempo de minha infância

Era difícil acessar

Livros com diversidade,

Porém a dificuldade

Precisava suplantar.

 

  1. As letras me fascinavam

Que nem um feitiço, encanto,

Por isso a fome por livros

Precisava de acalanto.

Então meu irmão Belisário

Vasculhou todo o cenário

E Localizou um canto.

 

  1. Era uma Biblioteca

No prédio da Prefeitura.

Como quem adora mel

Imergido na doçura,

Vivendo esse sentimento,

Não perdi um só momento

E tibunguei na leitura.

 

  1. Li tudo o que vi na frente

Por dias vários seguidos.

Mais de um livro, muitas vezes,

Rapidamente era lido.

Logo assim que terminava

De ler os livros levava

Pra serem substituídos.

 

  1. No tempo eu já percebia

A desatualização

Daquela biblioteca,

Em profunda estagnação,

Mas em vez de me importar

Me detinha a aproveitar,

Pois era o que tinha à mão.

 

  1. Lembro aquela biblioteca

Como um sonho juvenil

Impossível realizado

Numa candura infantil.

Ficava no atendimento,

Atenta a todo momento,

Donizete de Seu Pio.

 

  1. Lembro de outra biblioteca:

A do Bernardino Bento.

Lá não se emprestavam livros,

O que era pra mim tormento,

Pois um leitor compulsivo

Ao vir um livro inativo

Atira pedra no vento.

 

  1. Confesso, era muito triste

Ver aquelas coleções

De livros nunca folheados

Clamando por atenções.

Precisava socorrê-las

E por vontade de lê-las

Fiz as seguintes ações:

 

  1. Entrava na biblioteca

Alegando ir pesquisar;

Pegava um livro escondido,

Dava um jeito de levar

Pra casa e depois que lia

Escondido devolvia

Sem Marinalda avistar.

 

  1. Desculpa, viu Marinalda?

Sempre foste competente,

Porém quem pode escapar

De um leitor adolescente

Que nos livros é viciado

Ser ter um real furado

E lê compulsivamente?

 

  1. Bom, expus esses relatos

Porque penso que esses ritos

Foram primeiro alicerce

Que embasaram meus escritos.

Como um dique que transborda,

Nossa mente um dia acorda

Despertando requisitos

 

  1. Dos processos necessários

À produção de escritura,

Os quais são subordinados

Principalmente à leitura,

Pois tudo aquilo que lemos

Influencia o que escrevemos

Numa produção futura.

 

  1. Porém não posso esquecer

Os diversos formadores

Que cruzaram meus caminhos:

Refiro-me aos professores,

Com tanta dedicação,

Muitos me estenderam a mão

Indo além de apoiadores.

 

  1. Em nome de Nida e Fátima

Soares saúdo vocês.

Obrigado, caros mestres,

Por tudo que cada um fez

Por este eterno aprendiz.

Recordo muito feliz

De vosso ensino cortês.

 

  1. Peço uma salva de palmas

Para nossos professores.

São nossos anjos, são guias

São guerreiros lutadores

Que dedicam cada instante

Da docência ao estudante

Com gestos transformadores.

 

  1. Finalizo por aqui

Essa breve exposição

Dizendo quão importante

Para toda profissão,

Não somente a de escritor,

O papel do professor

Condutor da Educação.

 

  1. A Educação propaga

No mundo o conhecimento,

Que leva a transformação

Num constante movimento

De toda realidade,

Que faz da desigualdade

Um majestoso aposento.

 

  1. Portanto, caro estudante,

Não perca nenhum segundo:

Estude, mas de verdade

De um jeito sério, profundo,

Para acessar os saberes

Que de vocês farão seres

TRANSFORMADORES DO MUNDO.

Manoel Belizario

Além dos versos foram expostas imagens das obras e da trajetória literária de Manoel Belizario que foi prestigiado com a presença de seus ex-professores, conterrâneos, amigos e parentes.

 

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar